- Candidiase Tem Cura - http://www.candidiasetemcura.com.br -

Culturas vivas (probióticos) curam a candidíase?

Probióticos é o termo que denomina o conjunto de bactérias que habita nosso sistema gastro-intestinal e vaginal. Essas bactérias, comumente chamadas de culturas vivas ou bactérias “amigas”, possuem diversas funções que vão desde digestão e absorção de vitaminas e minerais até o equilíbrio que deve ser mantido para controlar a população de bactéricas e fungos tidos como “inimigos”. Você deve ter aprendido em suas aulas de biologia na escola que todos os mamíferos possuem bactérias e fungos em seu corpo na casa dos milhões, então não deveria vir como surpresa para você o fato de que nosso corpo é habitado por microorganismos, alguns com funções positivas e outros que “só atrapalham”!

A cândida é um fungo (não uma bactéria!), no entanto, vive no corpo de todos os mamíferos. Quem é responsável pelo controle da população de cândida no corpo são justamente as bactérias “amigas” ou probióticos. A candidíase é causada quando ocorre um desbalanço na população de bactérias e fungos e os fungos (cândida) conseguem se reproduzir com maior intensidade. O que causa os sintomas de candidíase são as colônias de fungos já em crescimento considerável.

O uso de probióticos pode ajudar tanto no combate quanto no tratamento da candidíase, mas mantenha em mente que as culturas vivas sozinhas não “curam” a candidíase, no sentido de acabar de vez com a recorrência da doença, que deveria ser o objetivo de qualquer tratamento de longo prazo.

Como explica o livro Candidíase Tem Cura [1], a “cura” da candidíase depende fortemente na atuação direta na causa da doença. Medidas paliativas como seria o simples uso de probióticos, sem atenção para a causa da doença, não parece ter efeitos positivos no longo prazo.

Probióticos são comumente chamados comercialmente de lactobacilos vivos (apesar de que os lactobacilos constituem apenas um tipo de probiótico) e culturas vivas em iogurtes e produtos que têm o objetivo de ajudar a melhorar a regularidade intestinal.

Tomar suplementos de probióticos não machuca – não há qualquer contra-indicação no uso frequente de culturas vivas. Contudo, apenas essa providência pode não ter efeito algum na candidíase se a causa do problema não for identifica e endereçada. A adição de probióticos na rotina diária pode ser feita com a compreensão de que é apenas uma pequena parte do quebra-cabeças para tratar e combater a candidíase e não a panacéia que irá sozinha curar a doença (aliás, nada sozinho, seja providência ou produto, cura a candidíase!).

No mais, o uso frequente de probióticos auxilia, e muito, a regularidade intestinal, o que pode ter um efeito muito positivo na saúde em geral e principalmente na imunidade, já que boa parte do sistema imunológico é afetado pela saúde do sistema gastro-intestinal. Isso também afeta, indiretamente, a tendência para desenvolver a candidíase, diminuindo, no longo prazo, as recorrências. Nesse caso, os probióticos devem ser adotados permanentemente como suplementos alimentares e não apenas um por um curto espaço de tempo.

Em alguns países, como no Brasil, não é muito fácil encontrar probióticos à venda. Recomenda-se então o consumo de iogurtes com culturas vivas, Yakult e demais produtos que divulgam conter culturas vivas. O ideal, porém, é encontrar suplementos em cápsulas (que devem ser mantidos na geladeira, para que as culturas não morram). A internet pode ser uma fonte de busca e compra desses suplementos, principalmente em sites Norte Americanos, onde esse tipo de suplemento é muito comum. Farmácias de manipulação também podem manipular cápsulas, mas geralmente exigem uma receita médica com a fórmula adequada para cada caso particular. Médicos que trabalham com medicina integral e homeopatas costumam dar esse tipo de receita. Caso haja interesse, procure um em sua cidade.

KÉFIR

É possível também fazer probióticos em casa ou comprar kéfir já pronto. Kéfir é uma bebida fermentada feita a partir do leite. O processo de fermentação permite com que as bactérias do leite se reproduzam com mais intensidade, aumentando a quantidade de culturas vivas. É importante entender que existem diversos tipos de probióticos e cada um deles possui uma especialidade diferente e tem um efeito diferente no corpo. Algumas pessoas se beneficiam do tipo que probiótico presente no kéfir, outras não. Não há contra-indicações, no entanto, a não ser para pessoas que possuem intolerância ao leite. Nesses casos, geralmente kéfir feito com leite de cabra e búfala são mais tolerados por pessoas intolerantes ao leite de vaca.

Existem inúmeros sites que divulgam receitas para fazer kéfir em casa ou vendem o kéfir já pronto. Caso esteja interessado, é só procurar!