- Candidiase Tem Cura - http://www.candidiasetemcura.com.br -

Injeção de vitaminas funciona?

A moda da injeção de vitaminas ou até mesmo vitamina na veia (intravenosa) já pegou as celebridades como Madonna, Katy Perry e Rihanna, mas será que é só mais um desses modismos passageiros ou é algo que pode realmente fortalecer seu sistema imunológico, prevenir o envelhecimento precoce e curar doenças?

Injeção de vitaminas não é nenhuma novidade, já sendo usadas desde a década de 60. A moda da vitamina intravenosa é um pouco mais recente, mas alguns cogitam ser apenas uma evolução de uma prática que estava caindo em desuso e precisava de um “marketing mais agressivo”. Será?

As promesas são ousadas e visam conquistar a classe A e B que tende a aderir facilmente a modismos que prometem milagres contra o envelhicimento e supostamente favorecem uma saúde de ferro e uma beleza ímpar com a pele renovada e cabelos sedosos.

Na realidade, a “moda” também não é tão nova. No Japão, por exemplo, há muito tempo existem bares em que o “cliente” senta, escolhe dentre um vasto menu de diferentes combinações “mágicas”, tem então uma agulha introduzida em seu braço e fica lá, “curtindo” um cocktail de vitaminas na veia por algumas horas. Nos Estados Unidos, essa prática é muito comum em centros de reabilitação, apelidados de “paraísos da ressaca”, em que o cliente não precisa se internar, apenas visitando o local para uma dose de vitamina na veia quando “precisar”.

Tanto os que oferecem o “serviço” quando os clientes, principalmente as celebridades, confirmam o efeito milagroso, alegando melhora mais rápida de doenças, de gripes a outras doenças, melhora na disposição e energia, maior beleza da pele, unhas e cabelos, rejuvenecimento, dentre outros benefícios aparentemente bons demais para serem verdade!

A grande maioria dos cientistas e médicos bem informados (digo isso, pois a maioria dos médicos é “mal informado” nesse sentido) alegam que essa prática é pura perda de tempo e dinheiro. “Quando você se alimenta, seu corpo quebra os nutrientes da forma como precisa em seu sistema digestivo, tirando o que necessita para funcionar bem e criando os hormônios como insulina e serotonina no processo. Não é necessário nenhum “aditivo”, além de, se a pessoa não tem uma alimentação balanceada, um comprimido multivitamínico junto com as refeições.” explica a médica canadense Alison Dantas. O corpo está acostumado a extrair vitaminas do sistema digestivo, pular essa etapa e colocar vitaminas diretamente no sangue não só é desnecessário como ainda não conhecemos os efeitos colaterais dessa prática.

É preciso tomar muito cuidado com médicos desinformados. Práticas absurdas como essa são difundidas de forma a confundir a classe médica. Muitos médicos, na boa intenção de ajudar seus pacientes, recomendam injeções de vitaminas, quando na verdade, não há comprovação alguma de que isso seja realmente útil.

Mas e os relatos dos efeitos “milagrosos”?

A maioria dos médicos tem a opinião de que boa parte dessas opiniões são efeito placebo, ou seja, autohipnose, se a pessoa acha que alguma coisa vai funcionar pra ela “com certeza”, ela começa a ver resultados que não estão mesmo lá. Isso é muito comum com celebridades, é só avaliarmos todos os modismos que já passaram e vermos o que as mesmas celebridades costumavam falar sobre coisas que hoje já estão comprovadamente desmentidas (e fora de moda!). As classes A e B tendem a aderir a modismos criados por celebridades e sofrem dos mesmos problemas com o tal efeito placebo – “se a Madonna faz algum tratamento e funciona pra ela, tem que funcionar pra mim também!”

Outro efeito é o simples consumo de vitaminas. Não precisa ser intravenosa, se você providenciar nutrição suficiente ao seu corpo, você notará certos efeitos positivos, mas para isso basta tomar alguns comprimidinhos e comer bem, fazer exercícios para oxigenar o cérebro e o corpo. Mas essas pessoas que relatam “efeitos milagrosos” trocam as vitaminas orais pela intravenosa e passam a acreditar então que é o fato de estarem tomando na veia que fez a diferença, não foi! Bastava ter tomado um comprimido por dia de um complexo multivitamínico, menos dolorido e 20 vezes mais barato!